5 filmes sobre depressão abordados da maneira certa

2012/Pôster de divulgação

A epidemia da depressão é uma realidade da nossa atualidade e, consequentemente, acaba sendo tema recorrente nas telonas. De fato, esse é um assunto central em muitos filmes de sucesso — quando tratada e abordada da maneira correta. Por isso, os 5 filmes abaixo foram selecionados. Eles abordam o assunto e tratam seus personagens com bastante realismo, não se restringindo apenas a contar histórias dramáticas que servem como justificativas para esse transtorno.

A lista abaixo é duplamente útil, já que ajuda a entender um pouco mais sobre a depressão e sobre como auxiliar quem está sofrendo com a doença, ao mesmo tempo uma pessoa que apresente sintomas do transtorno pode utilizá-la para se autoconhecer. No entanto, é válido lembrar que ao assistir qualquer um dos filmes abaixo se deve ter muito cuidado para que nenhum gatilho indesejado seja acionado.

 

1. Garota, Interrompida (1999)

Título Original: Girl, Interrupted

Diretor(a): James Mangold

Em 1967, Susanna Kaysen (Winona Ryder), de 18 anos de idade, ingere um frasco inteiro de aspirina com vodka. Após uma sessão com um psicanalista ela é diagnosticada como vítima de Transtorno de Personalidade Limítrofe (ou borderline) e é enviada para um hospital psiquiátrico, embora afirme que não estava tentando se matar.Susanna acaba passando dois anos internada e assim conhece outras garotas que mudam a sua vida, todas com uma série de transtornos. Georgina Tuskin (Clea DuVall) é uma mentirosa patológica, Daisy Randone (Brittany Murphy) foi abusada sexualmente e é viciada em laxante e frangos, Janet Webber (Angela Bettis) é anoréxica e Polli “Torch” (Elisabeth Moss) é uma vítima de queimadura que tem um comportamento infantil. Lisa Rowe (Angelina Jolie), é uma sociopata capaz de manipular todos ao seu redor. A personalidade de Lisa intriga tanto Susanna que elas acabam criando um laço um tanto quanto complexo, onde uma tenta entender e ajudar a outra. Não importa o que aflija estas garotas, na década de 60 todas eram consideradas loucas.

A exposição de Susanna se dá através de transições em flashbacks que revelam sua morbidade através de conversas com seu ex-namorado Toby (Jared Leto) sobre suicídio e a inutilidade da vida. Depois que Susanna é diagnosticada com borderline, ela se torna cada vez mais irritada com esse rótulo e segue o comportamento destrutivo de Lisa.

 

2. Foi Apenas um Sonho (2008)

Título Original: Revolutionary Road

Diretor(a): Sam Mendes

Este filme retrata uma análise focada na relação de Frank Wheeler (Leonardo DiCaprio) e April (Kate Winslet), desde o momento em que se conheceram até o seu fim trágico. Casando quando ainda tinham sonhos e esperanças eles escolhem a segurança (como a maioria) em vez de seguir seus sonhos improváveis e vão morar na 115, Revolutionary Road, em Connecticut quando a April fica grávida.

Sua agressividade em seu próprio fracasso em alcançar seus objetivos transborda e os torna irritados e hostis um com o outro. Cansados de suas vidas repetitivas, vazias e sem esperanças, April sonha em se mudar para Paris para que eles possam começar uma nova vida onde não serão tão deprimidos e apáticos. Mas assim que eles começam o planejamento as circunstâncias mudam e eles permanecem presos em suas vidas insatisfatórias e devastadoramente miseráveis, juntos no subúrbio.

 

3. Se Enlouquecer, Não Se Apaixone (2010)

Título Original: It’s Kind of a Funny Story

Diretor(a): Anna Boden e Ryan Fleck

Esta comédia de humor negro foca na depressão do personagem Craig Gilner (Keir Gilchrist), que depois de quase pular da ponte do Brooklyn, procura ajuda em um hospital e acaba internado na ala psiquiátrica de adultos (pois a ala de adolescentes está fechada) durante uma semana. O que é realmente interessante é que este filme não tenta esconder passados ​​traumáticos reprimidos e não sente necessidade de dramatizar e/ou racionalizar a depressão de Craig. Ele nunca foi abusado, intimidado e seus pais sempre dão o seu melhor para ajudá-lo. Craig apenas está sob muita pressão. Com o fim do ensino médio ele se vê perdido em um mundo onde não faltam obstáculos e passa a sentir o receio de não ser forte o suficiente para conseguir superá-los. A situação do protagonista é comum e é provavelmente por isso que ele seja um personagem tão realista e identificável. Qualquer jovem que sofre as pressões dos vestibulares sabe o que é estar na pele do Craig e, talvez, a mensagem que esse longa transmita possa aliviar muito o peso que está nas costas de quem o assiste.

 

4. As Vantagens de ser Invisível (2012)

Título Original: The Perks of Being a Wallflower

Diretor(a): Stephen Chbosky

O drama de amadurecimento acompanha um garoto de 15 anos, Charlie (Logan Lerman), no momento de sua entrada no colegial em Pittsburgh. Ele se recupera de uma depressão que lhe rendeu tendências suicidas, e da perda de seu único amigo. No colégio, porém, começa sua jornada de socialização, de crescimento e recuperação com a inadvertida ajuda de dois veteranos, Patrick (Ezra Miller) e Sam (Emma Watson), que o recebem em seu grupo de amigos.

Charlie tornou-se solitário após seu melhor amigo cometer suicídio e sua tia preferida morrer. A partir daí ele começa a ter problemas para lidar com a vida. Os pais dele são cautelosos com tudo que diz respeito a ele e os irmãos tem seus problemas para lidar. Então, Charlie sobrevive a cada dia. Ele não faz nenhum tipo de plano, apenas vai passando pela vida como se fosse o último dia.

 

5. Ela (2014)

Título Original: Her

Diretor(a): Spike Jonze

Em um futuro próximo na cidade de Los Angeles, Theodore Twombly (Joaquin Phoenix) é um homem complexo, emotivo e depressivo que trabalha escrevendo cartas pessoais e tocantes para outras pessoas. Com o coração partido após o final de um relacionamento, ele acaba de comprar um novo sistema operacional para seu computador chamada Samantha (Scarlett Johansson). Para a sua surpresa ele acaba se apaixonando pela personalidade deste programa informático, dando início a uma relação amorosa entre ambos. Esta história de amor incomum explora a relação entre o homem contemporâneo e a tecnologia.

Facebook Comments
Felipe Damazio
About Felipe Damazio 3 Articles

Colunista, resenhista e colaborador do site e da revista. É fanático por séries e filmes e natural de São Paulo, possui 21 anos e é estudante de Jornalismo pela Anhembi Morumbi.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*