Cada mês com sua cor e causa

2015/Fonte original desconhecida

Trabalhar com cores pode ser uma tarefa complicada já que uma cor traz consigo os mais diversos significados. Podem ir desde associações materiais a associações afetivas, onde transmitem uma sensação diferente para quem vê, devido às suas experiências de vida, contextos culturais e valores simbólicos que trazem em sua bagagem. Uma determinada cor ainda pode trazer consigo associações a ideias opostas. Um exemplo disso seria a cor vermelha, que pode ser interpretada como a cor do amor, mas para outros e em outras situações, como a cor da emergência, da pressa.

Aproveitando a menção da cor vermelha, foi com ela em 1990, que o primeiro laço deu as caras como símbolo de ativismo pela prevenção a Aids. Tempos depois, veio o laço rosa para conscientizar sobre o câncer de mama e então não parou mais. Através desse poder simbólico, milhares de pessoas, entre homens e mulheres, passaram a se conscientizar sobre uma determinada causa, ação ou projeto.

Uma cor pode apresentar ideias contrárias e com os laços isso não muda. Devido o uso de laços por muitas instituições que adotaram a ideia, algumas cores trazem mais de uma causa. Sempre tem aquela que marca mais um mês com sua cor, o que seria o caso do “Outubro Rosa”, onde se tem a conscientização do câncer de mama. O mês foi escolhido para representar o mês, já que vários Estados criaram ações contra a causa nessa época. O rosa, por ser conhecido como “cor de menina”, nesse caso pode sim estar assimilado a isso, já que a ação é voltada para o público feminino. Há ainda o “Novembro Azul”, onde se trabalha a conscientização sobre o câncer de próstata. Sabe-se que a maioria dos homens têm um certo preconceito em fazer o exame, então que cor melhor que o azul para ajudar nisso? A cor pode se associar com a tranquilidade, conforto e confiança, passando a mensagem que eles não precisam temer o exame.

No mês de setembro, o laço usado é o amarelo. A causa? Suicídio. Durante o mês circulam peças publicitarias alertando sobre o combate e ocorre uma série de atividades de conscientização e de alerta. Para refletir isso, a cor amarela foi a escolhida. Por mais que ela possa estar também associada a depressão, a cor vem de alerta não para quem sofre com a doença, mas sim às pessoas ao redor, para que abram seus olhos com o que é sério. De outro ponto de vista, a cor amarela ajuda no estímulo do cérebro e nas faculdades mentais, da qual a memória se encaixa. A pessoa que sofre com a doença, ao ver uma peça que seja dessa campanha, pode vir a ter um estímulo cerebral positivo que a faça procurar por ajuda.

Nada é feito por acaso. As cores utilizadas para determinadas causas foram escolhidas para o “cargo” após longos estudo, assim como a escolha de cada mês. Cada cor é uma onda eletromagnética de diferente comprimento. Caso sua vibração tenha coerência com a mensagem que quer transmitir, maiores serão os êxitos. Deve-se ainda tomar o cuidado com os costumes de cada região.

Facebook Comments
Eduardo Roberto
About Eduardo Roberto 4 Articles

Colunista do site Entrelinhas, estudante de Publicidade e Propaganda, é desenhista amador, escritor, nerd/geek, e aos 19 anos é natural de São Paulo.

Be the first to comment

Leave a Reply

Seu e-mail não será publicado.


*