Tudo aquilo que conserva as palavras

2016/Bogitw/PIXABAY

A literatura define os ideais daqueles que viveram para sempre e ensina a repudiar o intolerante e o opressor e a amar a vida e a liberdade.

No subsolo do edifício modernista Marquês de Herval há a livraria Leonardo da Vinci, que funciona há 65 anos no centro comercial do Rio de Janeiro. Desde o começo foi ponto de encontro preferido de poetas e escritores, como Carlos Drummond de Andrade. No meio do salão, sentava-se em uma das mesas e saciava seu apetite literário naquelas pilhas de livros.

Não menos importante, na grande capital do estado vizinho, há o Sebo do Messias, uma casa de repouso para livros, CDs, gibis, revistas e cultura. Após quase 50 anos de história naquele mesmo local, Messias construiu um acervo com milhares de exemplares raros e usados que hoje constituem o maior sebo do Brasil.

Ambos os locais possuem importância indiscutível. São lares de cultura, história, depósitos de palavras – porém, não quaisquer palavras, dessas que encerram sentidos concretos, didáticos, rasos, mas sim palavras que convidam povos a amar ou, outrora, a se destruir.

Numa era de maratonas diárias, onde tudo é rápido e o que é lento não tem valor, a literatura passou a ser lançada para de baixo dos panos por exigir algumas horas do dia, um pouco de atenção, silêncio e, acima de tudo, reflexão.

Hoje temos um mundo de possibilidades a conservar as palavras, mas poucos dispostos a fazê-lo. Tanto a livraria no Rio quanto o sebo em São Paulo, ou os domínios eletrônicos recônditos em uma nuvem na rede, ou o papel na sua escrivaninha, tudo aquilo que conserva as palavras merece seu devido valor, pois a palavra molda povos, histórias, paixões, eterniza mortais, faz fluir vida em nossas mãos.

As palavras se distanciam cada vez mais do farelo do tempo, das cinzas do opressor, da corja dos ladrões, graças ao escritor, o maior doador de sentimentos, o maior capacitador de humanos.

Facebook Comments
Fernanda Scheffler
About Fernanda Scheffler 9 Articles
Diretora administrativa da revista e do site Entrelinhas, carioca, 20 anos, técnica administrativa, estudante de psicologia, professora e escritora apaixonada.

3 Comentários

  1. Excelente texto. Parabéns pela iniciativa de fazer valer o peso das palavras e àqueles que as preservam e passam adiante. Esse mundo infinito de ideias, realidades e acima de tudo, de muita imaginação e reflexão.

Comments are closed.